sábado, 19 de janeiro de 2008

Portugas, internet e randoms

A dor do juízo ainda está aqui, submersa pelos “pain killers”. Pelo menos eu consigo comer.

Ontem foi a festa de despedida da Dina, de Portugal. Engraçado ou não, encontrei ela pela primeira vez ontem e ela ficou super triste! Ela adora o Brasil e ficou muito mais contente em poder falar português. Uma pena, eu gostei dela! Não distante da nossa mesa, ela me apresentou para uma mesa onde estavam alguns amgios dela: um português e dois eslovacos que falam português. Depois fomos para uma “boate” e lá fui apresentado a mais uns 8 portugas. Tem uma máfia de portugal aqui!! Conversei um pouco com eles e dei o fora.

“Dei o fora” é só força de expressão. A verdade é que eu não sou fã dessa coisa de “Ah, você fala português? Vamos ser amigos!” ou “Ah! Você é brasileiro? Vamos ser amigos!”. Esta teoria é furada e eu não vou perder meu tempo escrevendo o porquê.

Novidade neste final de semana, também, é que estou com internet em casa, temporariamente. Tenho pretensão de alugar um cartão pmcia para meu notebook e ter acesso à internet de onde quer que seja, porém isto custa cerca de 60R$/mês e 2Gb/mês. É brincadeira com a minha cara, lógico, pois todos sabem que eu não sou nem um pouco viciado em internet e com certeza eu torro esses 2Gb em 3.88 horas. A precisão no tempo é devida a taxa de transferência máxima desta internet (cerca de 150kb/s).

Agora estou num dilema: virar uma pessoa normal, interneticamente falando, ou pagar excesso de banda todo mês! Hahaha! Complexo!

Outro dilema é se eu vou continuar morando no cafofo aqui com os estudandes-sem-noção ou me mudar para um flat. O que eu ganho? Morando no cafofo eu economizo dinheiro suficiente para fazer umas viagens decentes pela Europa ou voltar para o Brasil e fazer outro intercâmbio (neste momento minha mãe fica de cabelo em pé e grita, lá no Brasil) no final do ano. Morando em um flat eu tenho mais conforto e privacidade. A primeira opção está ganhando, por enquanto. Vamos ver. O que você faria?

Oh, dúvida cruel... é tudo tão complicado!

3 comentários:

Paulo disse...

Oi. Tenho lido o seu blogue ultimamente e não percebi essa teoria do falar português/brasileiro. Penso que é sempre uma boa chance para minimizar as alterações relativamente às nossas origens.
Continuação de boa sorte

Flávio disse...

Dioe,

Paz e bem!

Você não é Zeca Camargo, nem fará uma viagem do tipo "volta ao mundo", mas seus comentários neste blog são muito bem preparados e descontraídos.

No final, acho que daria um texto interessante... Vai pensando.

Abraços e sucesso!

Flávio - Cuiabá.

Samyra disse...

Pois eu ficaria no meio da bagunça mesmoooo, melhor sobrar grana pra investir em outras coisas. Melhor eh viver na rua, assim vc n tem q conviver com mtos estudantes sem noção.