quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Ano Novo em Košice

O Ano Novo foi interessante: muita neve, muita gente nova – de diversos países - e novas experiências. Fomos eu, Dadá (Team Leader da AIESEC em Bratislava) e Vaco (LCP da AIESEC CU) a uma cidade a 600km de Bratislava, ao leste da Eslováquia, chamada Košice. Foi um evento organizado pela AIESEC em Košice, chamado NYE 2008 – New Year’s Eve 2008. Como todo evento da AIESEC, qualquer AIESECo de qualquer país pode se candidatar ao comitê organizador e neste evento tinha pessoas da Eslováquia (Košice e Bratislava, principalmente) e Croácia.

Adendo: Košice é a segunda maior cidade da Eslováquia, com 250mil habitantes.

A viagem

Fomos de trem. Saímos de Bratislava no sábado às 11:45h e chegamos em Košice às 18h. O alojamento parecia como um internato e era bem tranquilo: tinha 4 andares, salão de festas e refeitório.

Viajar de trem é muito bom! Okay, é historicamente sabido por que o Brasil não tem um sistema ferroviário decente mas mesmo assim eu ainda quero dizer a frase: “EU NÃO SEI POR QUE NO BRASIL NÃO TEM TREM!!!”.

Pontos positivos da viagem de trem

· Não tem aquela coisa de fazer curvas bruscas e de se chacoalhar, causando enjôo;

· Dá para se ler!

· O medo de acontecer um acidente idiota (como dois carros baterem de frente) é quase inexistente (hehe). Os ambientes (restaurante, banheiro, cabine) são confortáveis e bem legais.

· Tem tomadas nas cabines e você pode plugar seu celular, laptop, etc...

Pontos negativos (mais pessoais)

· Poltronas: eu sempre fui de dormir muito em viagens e pelo menos na segunda classe as poltronas são um pouco incômodas para se dormir;

· O espaço é pequeno, mal dá para esticar os pés, principalmente se a cabine estiver lotada;





Na foto: eu, Vaco e Dadá. Fotos da paisagem na viagem e no restaurante do trem. Detalhe para a pose com a cerveja haha (quem estava bebendo era o Vaco).

Festas, city tour e atividades

Resumindo, os 3 dias pareciam como uma conferência da AIESEC, exceto que não tínhamos seções (palestras) nem treinamentos J

A “agenda” dos três dias era, durante o dia, fazer o que quiser (ir para piscina, andar no centro, dormir, se enbebedar, esquiar, fazer snowboard, papear, etc...) e durante a noite, festas. Eram três festas: Traffic Light Party (Festa do Semáforo), Global Village e Jantar Oficial de Ano Novo.

Durante o dia cada um (ou cada grupo de pessoas) fazia o que bem entendia. Existiam cartazes na recepção com o nome da atividade: você ia lá e colocava seu nome, via o horário e o ponto de encontro. Mas não era obrigatório, era só uma forma de fazer as pessoas se organizarem.

A programação do sábado era ir ao pub mais frequentado da cidade, no centro, e depois ir para a festa do semáforo, no próprio alojamento. Eu não sei como foi a ida ao pub por que eu cheguei de viagem, tomei banho, jantei e fui dormir para poder ir à festa, caso contrário eu não ia aguentar, estava cansado e ainda tentando colocar meu sono em dia.

A propósito, eu não vi Festa do Semáforo alguma! Não tinha ninguém vestido de verde/amarelo/vermelho ou usando alguma coisa para identificar, enfim, foi uma festa normal. Eu aproveitei para conhecer o pessoal.

Conheci quase todo mundo da festa: romenos, poloneses, alemães, eslovacos, um cara da malásia (intercambista da AIESEC Košice), uma norte-americana perdida, croatas, austríacos, um italiano, um grego e por aí vai.

Eu conversei bastante, depois, ao longo dos dias, com algumas pessoas, fiz amizade com um grupo de pessoas da Romênia e Áustria, foi muito legal. As pessoas sempre queriam saber do Brasil: praias, futebol, cachaça, “Ronaldo, Giba” hahaha. Fato cômico neste dia foi um polonês REVOLTADO comigo pois ele descobriu (eu falei para ele) que eu não jogava futebol. Ele estava bem bêbado e tudo que ele conseguia falar era: “HOW COME!!!????” (no contexto, algo como “Mas como você não joga??”). hahaha!

No segundo dia eu fui para uma estação de esqui com um grupo e a Dadá (ela faz snowboard) como guia, pois ela fala eslovaco. Eu não tinha nada, nem minha roupa era própria para esquiar ou fazer snowboard, mas eu não tava “nem aí”. Juntei-me ao bando.

Tive que alugar kit para snowboard: botas e prancha (board). Além de comprar ticket para usar as pistas. Ao todo foram aprox. R$40 (e viva a Eslováquia!).

Eu sabia ZERO sobre como parar em cima da prancha e a Dadá me deu algumas dicas de sobrevivência para iniciantes, como “como freiar” e “nunca, mas NUNCA, coloque sua prancha apontando direto para a descida!”.

Então lá foi eu para cima da prancha aprender a parar e adivinhe o que acontece? A prancha ficou apontada direto para a descida! HAHAHHAA! Primeiro tombo master! Lá se vai os joelhos..

A Dadá me deixou alí na área de iniciantes e saiu para curtir a tarde dela na outra pista. Eu aprendi a parar (outro método eficiente para parar quando em baixa velocidade é você se agaixar e se jogar no chão hahaha).

Fatos pessoais sobre snowboard:

· Dói a bunda;
· Neve machuca;
· Nunca aponte a prancha diretamente para a descida – NUNCA!!
· Dica: agaixe bem, use somente do tronco para baixo (principalmente pés/calcanhar)!!
· O teleférico não gosta de mim;


Duas horas de tombo foram suficientes para eu conseguir descer a ladeira de iniciantes sem cair (muito)! Aee!!!!

À noite ia acontecer a festa cujo tema era “Global Village”, que é uma festa bem conhecida na AIESEC. Cada pessoa/grupo de pessoas leva guloseimas dos seus países e, no final, monta-se uma feirona de comidas típicas.

A festa começou às 22h mas eu a perdi pois cheguei um CACO do snowboard (era umas 20h) - esse negócio cansa! - encostei na cama e apaguei. Acordei era 2h da manhã, troquei de roupa e desci para o salão de festas: só tinha migalha haha. Deu para beliscar uns doces croatas e umas balinhas de caramelo russas (excelente, por sinal). Uma pena.

Na segunda-feira eu acordei cedo, 6h. Na verdade eu quase não dormi pois já tinha dormido e fiquei na recepção, de bobeira. Fui tomar café, era umas 9h, na mesa de um pessoal da Romênia. Eu não conhecia muita coisa sobre o povo romeno, nem sabia que a língua romena tinha origem latina (muitas palavras são parecidas com português e espanhol)! Eles ficaram bem entusiasmados quando falei que era brasileiro (como quase todo mundo fica, incrível J) e me convidaram para andar com eles no centro, à toa, para comprar roupas novas. Disseram que é uma tradição romena dos “tempos modernos” (eu entendo “consumismo” haha) passar o ano novo com roupas novas, ou algo novo.

Eu me diverti bastante com este pessoal.


À tarde estava programado para se fazer o city tour oficial. Não foi bem um city tour por que a menina que seria a guia não pôde ir, daí foi o bando inteiro para o centro tirar fotos haha! Foi quase a mesma coisa que de manhã, embora à tarde eu tive oportunidade de entrar na catedral. Chama-se Catedral de Santa Elizabeth e é o cartão postal oficial de Košice. É impressionante, linda!!



A torre da catedral não tem sino, pois o sino que ficava no alto da torre foi destruído em um incêndio que houve há alguns anos atrás. O sino caiu e diz a história que se quebrou em 1000 pedaços. Uma réplica deste sino encontra-se ao lado da catedral, no chão da praça. Foto abaixo.



Fato interessante: um pouco mais para frente da catedral, tinha um grupo de cantores de rua. Paramos para tomar vinho quente e de repente eu escuto um som familiar: “Garota de Ipanema”. Foi engraçado por que assim que eu percebi que era música brasileira, o pessoal que estava parado e apreciando também reconheceu a música gritou: “Brazil! Brazil!”. Eita fama....

À noite foi o jantar oficial. Eu não tinha levado meu terno (mesmo por que ele ficou no Brasil), mas depois, quando cheguei no salão, vi que eu não era o único e as pessoas, em geral, só estavam “mais arrumadas”. Os romenos me convidaram para se juntar a eles. Povo simpático! J Depois chegaram uns suiços perdidos e se sentaram lá também.


O jantar foi até umas 22:30h e a esta altura o povo já estava disperso e com suas vodkas+sucos andando pelo prédio. Eu fui andar a acabei na mesa de uns austríacos que me convidaram para escapar do alojamento e ir para a praça ver a queima de fogos: e lá vou eu!

Na mesa tinha esta menina de Viena super entusiasmada com português, ela era bem simpática e dizia que o português é a língua dos sonhos dela,uma língua que ela nunca ia conseguir falar, “sensual e perfeita ao mesmo tempo”. Hahaha! Sim, ela era empolgada.

Ah! Teve uma polonesa também que sabia falar algumas palavras em português mas depois da meia-noite (leia-se “já bêbada”), toda vez que ela me encontrava ela falava “Oi, tudo bem?” hahaha. Acho que falou isso umas 20 vezes em 2h.

A intenção era só ir para a praça por alguns minutos, ver a queima de fogos, o movimento (tinha um palco montado na praça) e voltar. Foi o que fizemos.

Chegamos era 23:45h, tinha um show da Tina Tuner cover (a mulher cantava muito bem e agitou o pessoal no frio de -6⁰C!). A queima de fogos foi normal, eu diria, nada de especial.

Voltamos para o alojamento em seguida, era 00:30.

A tradição da festa é começar a dar “Feliz Ano Novo” a partir do primeiro fuso-horário do país que estiver presente na festa. Começou pela Romênia (não sei por que, acho que esqueceram do cara da Malásia) e acabou no Brasil, às 4h. Eu escutei “Feliz Ano” em tantos idiomas que eu nem sei mais quais!

Não só na festa do Ano Novo mas como em todos os outros dois dias o pessoal bebeu demais. Para eles pareceu normal. Eles entram num destilado que eu nunca vi! E a forma prática de se beber vodka é carregar um litro de vodka embaixo de um braço e 2L de suco de caixinha (tipo estes Del Valle) embaixo do outro: você vira a vodka e depois vira o suco. Nada de copos.

A comida foi bem servida, teve carne de porco e carne de vaca ao longo dos 3 dias, sopas, muita batata e legumes. Entre as refeições, sanduíche (pão tipo baguete com um filé de carne suína ou bovina, presunto, alface, manteiga e pepino) e suco de caixinha. Muito bom! :)


Štastný nový rok!!
(Feliz Ano Novo!)

6 comentários:

mclary disse...

Aqui tinha tanto brasileiro que depois das queimas de fogos a gente ouviu a musiquinha: "Adeus ano velho... Feliz ano novo..." Mas acho que preferiria ouvir 20 vezes "oi tudo bem?"

abraço! Se agasalha ae menino!

darla Boo disse...

Dioiiiiii que legal seu ano novo adorei, hahha. beijao

Samyra disse...

Diouiiiiiiiiii FEliz ano novooooooooooooooooo
=***************
Essa do 20 "oi, tudo bem?" foi ótema heimmm. Mas que pessoa desanimada eh vc credo, para de dormir e vai festar. bjuuuuuuuuuuu.

Paula disse...

Hi guy!!!

hauhauahuahauha adorei a parte do snowboard!!! sim neve machuca e o teleférico também não gostou de mim qdo fui esquiar!!! hauahuahuah são terríveis...
vo esquiar denovo agora... com meus pais que estão vindo pra cá na semana q vem! espero q dessa vez o teleférico vá com a minha cara!!! hehehehe

vem qdo pra londres? café ta aqui ja!!!

bjoooooo

Senhorita_:* disse...

Dioi, eu anum acredito que vc PERDEu a a Global Village, putz! Tava aqui esperando pra ver vc contar as várias comidas estranhas...huaoaiuha..E vem cá,cada um não tinha que levar umas coisas de seu país, naum me diga que vc num representou nosso Brasilzão, hein! Afff, Dioi! Pára de dormirrrrrrrrrrrr!!! SE vc perde as festas, a gente aqui tbm perde, ueh..rrsrsr..E que chiquérrima sua virada de ano, hein! Inveja aqui, oh! hehehehe...E Dioi, o Brasil eh bem visto ai? Pq o povo faz festa ao saber que vc eh brasileiro, serah que eels pensam que o povo do Brasil num viaja? hauihaoiuahoiaua....Bjão!!!!!!!!!

wndpcp disse...

Aooow, meu nego! Foi mal não ter aparecido aqui antes, mas em casa não deu pra entrar na net direito e quando chego aqui em Itajubá a net tá bugada. Só agora que a gente tá conseguindo consertar! =P

Antes de tudo! Feliz Natal muuuuito atrasado e Feliz Ano Novo atrasado! ;] Štastný nový rok!!!!!!! \o/\o/\o/

Terminei agora a pouco de ler suas aventuras aí! Meu fioooo! Como você dorme no Global Village?!?!?! Hahaha, como se eu não conhecesse. Nem fez a caipirinha pra eles, hein? Dá cachaça pra esse povo que é acostumado a tomar vodka! ^^
É tanta coisa que eu li que não dá pra comentar todas elas, mas curti quando você escreveu "Brasil" no carro! Hehehe. Achei muitas coisas interessantes! Assim como o Lucas, estou louco pra conhecer o Castelo e a Catedral.

E seu trampo? Ele já começou?

Vou indo! Abração! Muitas saudades!
;]