sexta-feira, 25 de julho de 2008

Síndrome de Estocolmo

"A Síndrome de Estocolmo (Stockholm Syndrome) é um estado psicológico particular desenvolvido por pessoas que são vítimas de seqüestro. A síndrome se desenvolve a partir de tentativas da vítima de se identificar com seu captor ou de conquistar a simpatia do seqüestrador."
Fonte: Wikipedia

Meus dias pela Eslováquia estão contados e parece que eu estou vivendo uma certa "Síndrome de Estocolmo" após meus (quase) 8 meses de vivência nestas terras.

Eu não sei até que parte é vínculada a minha naturalidade de parar para entender tudo e não julgar nada nem ninguém - e sempre fazer o maior esforço do mundo para, antes de julgar, falar que eu é que não entendi direito para repensar e reanalisar.

Enfim, é que ainda me dói ouvir de brasileiros frases como "Eslováquia? Mas o país é tão pobrinho!".

Aí eu não sei onde que dói mais: se é naquele lado meu que tenta sempre ser flexível e humano ou se é o lado "você vive no Brasil, se toca".

Eslováquia pode ser "pobrinha", como dizem, pode não ter as terras que o Brasil tem, pode sder 20x menor em população que o Brasil, não ter economias como a alemã ou a francesa, mas pelo menos aqui as pessoas não se matam por um relógio de pulso, como no Brasil.

É claro que cada país teve seu passado diferente e justamente aí que mora o ponto: entender.

Querer que um país recém-comunista, sem qualquer ajuda externa (como aconteceu com a Alemanha pós-guerra), atinja patamares econômicos astronômicos em 20 anos é querer que os políticos corruptos do Brasil sumam de uma eleição para outra: é impossível.
Como disse, aqui as pessoas não se matam por um relógio de pulso por que, querendo você, liberal de direita ou conservador, ou não, o comunismo do passado ajudou a criar uma sociedade "educada" e com índice (muito proximo de) zero de analfabetismo.
Armas de fogo também não existem.

Então fica o recado: antes de falar de qualquer nação, país ou cultura, pense 10x: a sua pode ser muito, mas muito pior.

Dito.

p.s: eu não perdi minha nacionalidade. Aliás, quem viver verá que eu voltarei espantosamente mais nacionalista, como nunca viram antes....

Um comentário:

Eduardo Munhoz de Rezende disse...

Dioooo,

Mto bom o Blog!!
Qto a Síndrome de Estocolmo acho que não vou passar por isso aqui na Índia.. Apesar de todos os problemas que o Brasil tem ..
Inveja de ti, por em tão pouco tempo já estar voltando, mas em novembro estamos lá na terrinha pra fazer a defesa da tese e terminar a faculdade logo de uma vez..
Se cuida e tenha um ótimo fds!!

[ ]s