sábado, 25 de julho de 2009

Pisa, Itália

Voltei!
Foram 7 dias, 4 vôos, 6 cidades, 700 fotos.
Esta história de tirar férias é balela: tenho que aprender a ir para UM LUGAR e ficar lá 7 dias, para aí sim descansar. Voltei mais (ou tão) cansado quanto antes, mas as paisagens, ahhh as paisagens..
Começou na quinta-feira passada e alí naquele dia eu teria uma primeira experiência com a Ryanair, uma companhia aérea de (super) baixo custo: paga-se para tudo. Check-in no aeroporto? Paga-se (existe opção de check-in online). Despachar mala? Paga-se. Marcar assento na aeronave? Paga-se. Passou dos 10kg na bagagem de mão? Paga-se.
E é torcendo até a última gota a sua mão-de-obra que a Ryanair mal sequer pára no aeroporto: os passageiros descem e uma nova leva entra. Não se limpa a aeronave antes de embarcar. Os comissários de bordo estão sabe-se lá há quantas horas voando. Enfim, é a tendência de todo e qualquer custo se reduzir a zero. Taking the most out of it.
Para se ter uma idéia, o fato de não ter marcação de assento faz com que a galera se TUMULTUE nos portões de embarque na espera de pegar seu assento de preferência. Velhinhos, mulheres com criança de colo ou grávidas embarcam primeiro? Nada disso. Existe o produto "Embarque prioritário", custa alguns euros e você também tem que pagar por isso.
Se você andou lendo por aí sobre uma tal empresa aérea que queria cobrar para se usar o banheiro, esta é a Ryanair. A última deles está sendo tentar colocar opções de passageiro viajar em pé... eu acho que para tudo tem limite.
De qualquer forma, a experiência inicial foi um pouco chocante.

Chegamos em Pisa era 13h e nosso voo só sairia as 16:45. Excluindo passagem pela segurança do aeroporto e tudo mais, tínhamos aproximadamente 2h para "ver" Pisa. Contando que o aeroporto fica a 10min da praça onde fica a torre, tínhamos aprox. 1:30h. E fomos.
Difícil falar alguma impressão da cidade (ou país) em 1:30h, mas algum italianos falando no seu alto e bom tom estavam lá para não deixar que eu me sentisse em casa.
A praça principal é linda, o gramado é intensamente verde e a torre é INACREDITAVELMENTE pendente. E você pode subir lá. Era incontável o número de turistas.
Andamos alí por perto da praça, numa das ruazinhas tipicamente estreitas de cidades antigas e comemos um panini (que só os italianos sabem fazer) e voltamos para o aeroporto.
Sendo superficial e frio, na mesma linha dos artigos de turismo que li, Pisa "é isso aí".





Ainda por vir: Barcelona, Bruxelas e Amsterdã. Aguarde.

2 comentários:

Leo disse...

Tão lindas as fotos!
Minha experiência com a Ryanair foi bizarra tbm!
Na época ainda não tinha isso de pagar pelo check-in ou pra despachar bagagem ou pelo banheiro. Só cobravam o lanche. Mas lembro que o check-in era numa "garagem" do aeroporto e a mulher que pegava o ticket era também a aeromoça! rss Do lado de fora tinha um cara vistoriando com uma lanterna a aeronave que tinha acabado de chegar e já ía sair. Segurança em 1o lugar.
Apelidei o avião de McDonald´s por causa dos suportes de plástico amarelo nos assentos e toda a cultura meio "fast" da companhia. Ainda por cima eu tava indo do Porto pra Roma, mas o jeito mais barato era ir pra Londres primeiro. Dormi 4hs no chão do aeroporto de Stansted e cheguei em Roma no Domingo de Páscoa, poucos minutos depois da última aparição do Papa JP2. A sorte sempre me acompanhou nas viagens! :p
Abs

Glau Nott disse...

vc n tira ferias pq vc eh mochileiro kerido!